Barcaça de combustível preso na lama no Alasca

MarineLink19 junho 2019
A Guarda Costeira responde a uma barcaça de combustível que se instalou na lama e começou a mostrar sinais de estresse estrutural enquanto descarregava produtos petrolíferos no Rio Naknek em Naknek, em 18 de junho de 2019. Força-Tarefa de Segurança Marinha da Guarda Costeira do setor de ancoragem e limpeza contratada profissionais estão de prontidão no local, no caso de qualquer combustível entrar na água. Foto da Guarda Costeira dos EUA
A Guarda Costeira responde a uma barcaça de combustível que se instalou na lama e começou a mostrar sinais de estresse estrutural enquanto descarregava produtos petrolíferos no Rio Naknek em Naknek, em 18 de junho de 2019. Força-Tarefa de Segurança Marinha da Guarda Costeira do setor de ancoragem e limpeza contratada profissionais estão de prontidão no local, no caso de qualquer combustível entrar na água. Foto da Guarda Costeira dos EUA

Uma barcaça de combustível ficou presa na lama do rio Naknek, em Naknek, no Alasca, informou a Guarda Costeira dos EUA na quarta-feira.

A Guarda Costeira disse que está respondendo à barcaça Crowley BC-152, que se instalou na lama e começou a mostrar sinais de estresse estrutural ao descarregar produtos petrolíferos.

"Esta barcaça não encalhou, mas ficou presa na lama durante a maré baixa ontem, já que estava descarregando o produto", disse o tenente James Nunez, chefe da divisão de gerenciamento de incidentes da Guarda Costeira do Setor de Ancoragem.

O pessoal a bordo da barcaça informou à Guarda Costeira ao meio-dia de terça-feira que a barcaça havia se instalado na lama e que o convés da barcaça estava mostrando sinais de estresse, incluindo uma válvula de retenção rachada.

O setor de ancoragem do setor da Guarda Costeira desviou imediatamente as equipes de trabalho da Força-Tarefa de Segurança Marítima que trabalhavam na região para avaliar a situação.

Nenhum dano ou sinal de poluição foi relatado.

O produto está atualmente sendo descarregado da barcaça, e aproximadamente 50.330 galões de gasolina e 95.410 galões de diesel permanecem a bordo, disse a Guarda Costeira.

A Guarda Costeira e os profissionais de limpeza contratados estão de prontidão no local, no caso de qualquer combustível entrar na água.

"Nosso trabalho é garantir que o potencial de poluição nessa situação seja mitigado. Continuaremos aguardando no local até que o produto seja descarregado e estamos satisfeitos de que não haja mais uma ameaça. Proteger o meio ambiente é nossa principal prioridade". Disse o tenente Nunez.

Categorias: Acidentes, Acidentes, Barcaças, guarda Costeira, Salvamento