Ferry automático entra em serviço regular na Noruega

13 fevereiro 2020
(Foto: KONGSBERG)
(Foto: KONGSBERG)

O primeiro trânsito de balsa adaptável do mundo, realizado durante o serviço normal, ocorreu na semana passada em uma embarcação totalmente carregada de passageiros e veículos, demonstrou controle totalmente automático de doca para doca, anunciou a Kongsberg Maritime.

A travessia do marco, um passo importante na integração da tecnologia autônoma nas operações diárias de transporte, foi possível graças à colaboração entre a empresa de transporte Bastø Fosen, a KONGSBERG e a Autoridade Marítima da Noruega (NMA).

A balsa Bastø Fosen VI agora usará funções de transporte adaptáveis desenvolvidas a partir dos sistemas avançados da Kongsberg Maritime para aprimorar a operação diária de seu serviço Horten-Moss, enquanto continua a transportar um conjunto completo de tripulantes.

De acordo com Kongsberg, a tecnologia oferece uma plataforma para consumo otimizado de combustível e emissões reduzidas de gases de efeito estufa (GEE), além de experimentar uma economia tangível de custos operacionais.

O sistema digital totalmente integrado no Bastø Fosen VI executa automaticamente todas as funções de ancoragem e cruzamento com um alto e repetível nível de precisão, garantindo que as melhores práticas sejam seguidas nos mínimos detalhes em cada trânsito. O resultado é uma cronometragem mais exata e maior satisfação do cliente: durante os testes em dezembro, o Bastø Fosen VI chegou consistentemente dentro de dois segundos após o horário programado.

Øyvind Lund, CEO da Bastø Fosen, disse: “Hoje, com o pressionar de um botão, um de nossos navios deixou o cais em Horten, atravessou o fiorde de Oslo e atracou em Moss, tudo automaticamente. Isso deixa a tripulação mais tempo para se concentrar no monitoramento da embarcação e na segurança dos passageiros, que para nós são as principais motivações para a adoção dessa tecnologia.

"A cooperação com a KONGSBERG e a NMA foi crucial para o sucesso desse empreendimento, assim como a consulta com nossos capitães e tripulantes", continuou ele. “Nós os incluímos neste projeto desde o início e ficamos encantados com o quão engajados eles estão em sua entrega. Isso é uma ajuda, não uma substituição. Maior precisão permite uma melhor logística: por exemplo, agora podemos pré-programar o tempo permitido para a travessia e, assim, reduzir o consumo de energia. Digitalização e automação são o futuro, e temos orgulho de ser os principais impulsionadores. ”

Organismos reguladores nacionais e internacionais ainda estão nos estágios iniciais do desenvolvimento de legislação para acomodar operações marítimas automáticas, mas, através de seu trabalho com Bastø Fosen e KONGSBERG no Bastø Fosen VI, a NMA mostrou ao mundo um caminho claro a seguir. "A Noruega é um país pequeno, mas somos muito grandes na indústria marítima", disse Svein David Medhaug, Autoridade Marítima da Noruega. “Isso nos permite promover esses avanços em grande parte da frota comercial do mundo, e estamos felizes em fazer parte disso. A segurança é a questão principal para nós, e estamos muito satisfeitos em trabalhar com partes interessadas como Bastø Fosen e KONGSBERG para garantir que essa tecnologia seja sustentável e segura. ”

O Bastø Fosen VI agora entra em um período de teste de seis meses, durante o qual o sistema automático - chamado 'trânsito adaptável' - deve controlar a embarcação para a maioria dos serviços, mas o capitão permanecerá no comando e a ponte estará totalmente equipada. Atualmente, o equipamento instalado não é totalmente autônomo - se embarcações ou objetos forem detectados em rota de colisão, um alarme soará e o capitão assumirá o controle.

Espera-se que um sistema anticolisão, que inclui sensores de radar e eletro-ópticos, seja instalado no Bastø Fosen VI neste verão e esteja sendo testado no outono, mas a tripulação permanecerá na ponte mesmo que o nível de autonomia aumente. habilidades, os procedimentos de Bastø Fosen exigirão que sua equipe realize trânsitos manuais regularmente.

Falando a bordo do Bastø Fosen VI, Gunnar Pedersen, vice-presidente executivo de soluções integradas da Kongsberg Maritime, disse: “Sair do cais, atravessar e atracar novamente, tudo com o pressionar de um botão - é a primeira vez no mundo. É super suave também, como vimos hoje. Mas, sem a colaboração de um operador de balsa com inclinação para a frente, como Bastø Fosen, o apoio das autoridades marítimas norueguesas e um provedor de tecnologia como a KONGSBERG, nada disso seria possível. Este é um grande dia para todos os envolvidos - este é o futuro. ”

Categorias: Embarcações, Ferries, Ferries, Navios de passageiros, Tecnologia